Oi, sumido rs. (quebrando o gelo com vocês depois de muito tempo sem contato)

Neste dia memorável em que eu tento voltar a escrever nesse blog que deixei abandonado por mais ou menos um ano (?), quero falar sobre algo novo e diferente e deixar apenas justificado aqui que, muitas coisas aconteceram no ano passado que me impediram de postar, entre elas falta de tempo e criatividade. Hoje farei uma tentativa de escrita para, aos poucos, conquistar de volta o carinho de vocês.

Começaremos os trabalhos de 2017 falando sobre a série mais bizarra e engraçada que você pode conhecer (e com uma das melhores atrizes): Santa Clarita Diet.


A sinopse é a seguinte: “Sheila (Drew Barrymore) e Joel Hammond(Timothy Olyphant) são dois corretores de imóveis que compartilham muito mais do que a mesma profissão. Casados e com uma filha adolescente, eles estão descontentes com a vida que levam em Santa Clarita, no subúrbio de Los Angeles. O destino deles começa a mudar quando Sheila passa por uma mudança radical.”
Lendo esse resumo, eu não poderia nem imaginar o que encontraria nesses nove episódios hilários. A personagem de Drew Barrymore passa pela transformação mais estranha do mundo: ela, subitamente, adquire uma doença que a faz ser um tipo de zumbi. Até aí a única coisa que você consegue pensar é em uma série trash muito horrível de ficção científica, mas não é bem isso.

O que acontece para deixar essa sitcom tão diferente e tão inovadora é o fato de que, por não ser um 
tipo de infestação, como acontece normalmente nas histórias de mortos-vivos, o caso  de Sheila é isolado e, diferente de TODOS os outros personagens que sofrem essa mutação nas mais variadas vertentes do mito, ela lida com o caso mais como uma simples mudança de comportamento, diminuindo a gravidade da doença.

A série começa com Sheila apresentando alguns sintomas estranhos. Enquanto o casal mostra uma casa que está a venda, a personagem começa a vomitar em grande quantidade (o suficiente para sujar o cômodo inteiro do banheiro da residência) e seu coração para. A partir de então, ela adquire hábitos que são completamente contrários ao seu estado normal, agindo de forma impulsiva, negligenciando assuntos que antes considerava de extrema importância e contrai uma vontade animal de comer tudo o que vê pela frente.

Até esse momento o casal decide que é só mais uma doença – por mais bizarros que os sintomas pareçam – até um corretor de imóveis novato chegar na empresa em que o casal trabalha e começar a dar em cima de Sheila de formas inconvenientes. No continuar da trama ele tenta beija-la de forma forçada e ela, raivosa e levada pelos instintos, devora o homem... no sentido literal da palavra.

Os Hammond também conta com o problema de dois vizinhos policiais, trazendo um aspecto do bom e do mal. O primeiro é um homem tranquilo e o segundo, o maior babaca da série inteira. Esse segundo, um delegado metido chamado Dan Palmer, interpretado pelo ator Ricardo Antônio Chavira, tem uma família também não muito convencional, sendo ele o único membro que você simplesmente odeia.

As três famílias que aparecem na sitcom são intrigantes, diferentes e todas engraçadas e de extrema importância. O melhor da série é que não há nenhum coadjuvante que não seja aproveitado da melhor forma possível com o decorrer do enredo, incluindo a filha de Sheila e Joel, uma adolescente chamada Abby, interpretada pela atriz Liv Helson. Ela inclusive ajuda muito os pais em conjunto com o enteado de Dan, o nerd (e um dos meus personagens preferidos) Eric Bemis, interpretado por Skyler Gisondo e o único que consegue, durante grande parte da série, ajudar a família Hammond com seu ‘problema’.

O desenrolar da série apenas de prende. O casal de corretores, que tinha uma vida normal e simples, passa a te transmitir uma das estórias mais hilárias da Netflix. A química de Drew Barrymore, Timothy Olyphant e Liv Helson passam a preocupação estranhamente real sobre a doença de Sheila. Você chega ao final da série e sente aquele vazio existencial e a ansiedade para a próxima temporada, logo, eu recomendo muito assistir.

Aqui o trailer pra vocês: 

Notinha para os leitores:
 Eu sei que o texto não está dos melhores e, da próxima vez, prometo fazer uma melhor análise. Eu nunca tinha feito uma resenha sobre sériee ainda estou com alguns problemas para a escrita, sem falar que é muito difícil não dar spoilers... mas essa veio do coração <3 obrigada e até a próxima postagem!


Deixe um comentário