Boa madrugada, leitores!

 Antes de mais nada, gostaria de me desculpar por deixar o blog nesse hiato infinito, é que esse ano está mais complicado do que eu pensei, porém eu não poderia deixar de falar sobre o que ocorreu nessa sexta-feira 13.
 Vocês sabem o significado da palavra Paz?

 De acordo com o Wikipédia a paz é: 

 - Geralmente definida como um estado de calma ou tranquilidade, uma ausência de perturbações e agitação. Derivada do latim Pacem = Absentia Belli, pode referir-se à ausência de violência ou guerra. Neste sentido, a paz entre nações e dentro delas, é o objetivo assumido de muitas organizações, designadamente a ONU.

 Quando entrei no Dicionário Informal, encontrei os seguintes comentários:
- É ter a consciência tranquila. A sensação de que tudo permanece bem. É a verdadeira essência do amor e da felicidade plena.
- Poder confiar no seu semelhante. Ter Deus em seu coração. Isso é ter paz.
- Estado de completa harmonia entre o ser pensante e o criador. sensação de cumprimento das obrigações existenciais.
Estamos sempre pedindo por paz. Em nosso cotidiano, essa palavra é dita e pensada mais vezes do que é reparado, mas falamos sem saber exatamente do que se trata.

 Todos os dias os cristãos falam de paz, mas muitas igrejas estão pregando contra o evangélico, assim como igrejas protestantes falam sobre os espíritas e assim sucessivamente. Você acha que essas pessoas não pedem por paz também em suas vidas? 

Aquele seu vizinho insuportável que não te deixa em PAZ. Me diga, você já pensou em quantas vezes ele pediu por isso no dia?


 A paz que as pessoas tem na cabeça é uma utopia. Para o ser humano, é impossível ter paz pelo simples fato de que essa palavra vai contra os instintos humanos naturais. Ou talvez nossa raça ainda não tenha evoluído o suficiente, mas não importa. A crítica é a mesma. Você que está chorando assistindo o noticiário sobre o acontecimento em Paris, quantos casais gays em sua vida você olhou e pensou como era nojento o fato de eles ou elas se amarem?



 Hoje são incontáveis os filmes sobre apocalipses, como o mundo vai acabar por desastres naturais e todos nós seremos extintos da face da Terra. As vezes vejo esses filmes e fico pensando se, as pessoas que os escreveram, realmente acham que o mundo irá acabar em desastres naturais.

 Com as coisas que acontecem ao nosso redor não acho que serão furacões e avalanches. Acredito que o mundo irá acabar em ódio, pois enquanto há mil tentando conscientizar há milhões de mentes fechadas que olham para uma notícia de estupro e pensam em como aquela mulher mereceu só por estar com roupas curtas, ou em como as mortes em Paris foram horríveis.

 Eu vi o noticiário logo após assistir um filme chamado O Doador de Memórias. Vocês já viram?
 Fala sobre um mundo pós-guerra onde pessoas vivem em uma comunidade extremamente controlada, sendo inibidas de sentimentos reais, vivendo como ecos. Em algumas partes do filme o rapaz tem que lembrar como era o mundo antes da guerra e aparecem imagens maravilhosas. Aparecem pessoas dançando em festas na Índia, islâmicos sorrindo, mulheres dando a luz, casais se beijando... Aparecem crianças sorrindo e homens se declarando. 

O filme mostra a alegria de alguém que nunca viu nada disso e ele se pergunta o porque de eles não poderem ter tudo isso mais. Eu entendo o porque de nos trancarem em salas com ecos do passado. 

 Depois que o filme terminou, eu entrei na cozinha e meu pai falou que já haviam 60 mortos confirmados em Paris. A minha vontade foi de me trancar no quarto, chorar e não sair nunca mais.

 Pensem por um minuto apenas. Reflitam o que aconteceu nessa sexta-feira 13. Você acha que a culpa é só dos terroristas? O terrorismo vem da indiferença, do preconceito, da falta de aceitação. Vem de pessoas que querem impor ideias na cabeça de outras. Vem de fanáticos que acham que, por você acreditar em Deus, na bíblia e em qualquer outra coisa que não seja aquilo, você tem que morrer porque é infiel.

 Quantas vezes você católico já pensou isso de alguém? E você homofóbico? Evangélico? Branco? Negro? Anão? Homossexual?...

 Não é minoria ou maioria. Não é a diferença de cor, de gênero sexual ou de religião. Você são todos humanos, homo sapiens sapiens e a única real responsabilidade que tens na sua vida é de respeitar o próximo. Não amar! Você não precisa amar ao próximo ou começar a virar amigo de alguém que não goste. Eu não estou falando isso porque todo mundo julga e todo mundo erra. Estou falando de respeito. De você ouvir opiniões diferentes e apenas discutir elas, não tentar enfiar suas crenças e seus morais garganta a baixo de outros.

 Reflita antes de chorar pelos mais de cem mortos, porque aquilo ali é apenas o reflexo de uma sociedade que está a beira do colapso.



- Isabela G.


Deixe um comentário